segunda-feira, 23 de março de 2015

Ranking de Ética e Honestidade dos partidos políticos nas Prefeituras do Estado do RJ

Excelente matéria do Jornal O Globo da série "O que eles fazem com seu voto". Isso é que ajuda a sociedade. Queremos ter a oportunidade de cada vez mais poder elogiar matérias do Jornal O Globo e da grande mídia em geral até o ponto em que não seja preciso elogiar porque ela já será tomada em sociedade como baluarte da verdade e da boa informação em sociedade. Até lá (o que está muito longe.. rsrsrs), estamos acompanhando, criticando, aplaudindo e ralhando.

O Jornal preferiu fazer um corte da informação de prefeitos do Estado do Rio de Janeiro que (a)respondem a inquérito, processos, que (b) foram condenados ou (c) cassados e que (d) não têm qualquer problema (quatro categorias classificadas de prefeitos), partindo do partido com mais prefeitos e chegando ao partido com menos prefeitos. Legítimo. A publicação está na página 16 da edição  de 22/03/2015 do Jornal O Globo.

Nós sugeriremos outro corte. Por quê? Porque no corte quantitativo de prefeitos por partido, feito pelo Jornal, os honestos ficaram com menor destaque, assim como os partidos com pior índice de desonestidade, considerando honestidade a inexistência de problemas com a Justiça, também não ficaram expostos.

É claro que responder processo ou inquérito não é sinônimo de culpa. Ser condenado ou cassado já é um grau de certeza maior de desonestidade, mas a inexistência de qualquer processo ou inquérito também deve ser enaltecido não é mesmo? Então o melhor seria que o Globo tivesse feito assim como fazemos.

Quem é o melhor partido cujos prefeitos não tiveram problema com a Justiça ou o Tribunal de Contas? Quem tiver menor percentual de problema ficará em primeiro lugar no nosso corte e em pior lugar ficarão aqueles com maior percentual de prefeitos cassados, condenados ou respondendo a inquéritos e processos criminais, cíveis ou administrativos.

Ranking de Ética e Honestidade de partidos nas Prefeituras do Estado do Rio de Janeiro:

1º - PDT, PSOL, DEM, PTB e PSDC - 0% de prefeitos com problemas de cassação, condenação ou respondendo a inquéritos ou processos - Meus parabéns a todos. Somente 5 em 16 partidos com nota dez em ética nas prefeituras.

2º - PRB - 50% de seus 4 prefeitos têm algum problema com cassação, condenação ou respondendo a inquéritos ou processos.

3º - PT - Em terceiro lugar em honestidade nesse ranking, 55% dos 11 prefeitos do PT dentre os 92 do Estado têm algum problema com cassação, condenação ou respondendo a inquéritos ou processos.

4º - PP e PSB - Empatados em quarto lugar, 75% dos 16 prefeitos desses partidos têm algum problema com de cassação, condenação ou respondendo a inquéritos ou processos.

5º - PMDB - 76% dos 25 prefeitos do PMDB no Estado do RJ têm algum problema com de cassação, condenação ou respondendo a inquéritos ou processos, o que significa que nem um quarto dos prefeitos da legenda parecem honrar com seus compromissos com os votos que receberam de seus eleitores e cidadãos. Uma legenda em que nem 1/4 de seus eleitos se salva é algo bem ruim mesmo. É para pensar sobre se se vota ou não nessa legenda, porque a chance de colocar alguém que não preste é de 76%!!! OU assim se mostrou na última eleição. Mas há piores.,,

6º - PR, PSC - Dos 14 prefeitos dessas duas legendas, 86% têm algum problema com cassação, condenação ou respondendo a inquéritos ou processos. Difícil acertar na eleição de candidatos destes partidos para a Prefeitura do RJ.. rsrsrsrsrs. Mas há os campeões!!

7º - PSDB, PSD, PC do B, PMN e PV - Os campeões da decepção e do desrespeito com o voto popular, dos 11 prefeitos eleitos por esses partidos nenhum passou ileso pelo crivo do Jornal O Globo e dos fatos: 100% desses prefeitos têm algum problema com cassação, condenação ou respondendo a inquéritos ou processos. Sendo que além da grande decepção em termos o PV e o PCdo B nesse lenco, o PSDB foi o que se mostrou mais ostensivo: seu prefeito de Itaguaí, Luciano Mota foi condenado e pego pela Polícia por desvio de 30 milhões de reais. Era comumente visto pela cidade andando de Ferrari. Veja a matéria em http://oglobo.globo.com/rio/suspeito-de-desvio-de-verba-prefeito-de-itaguai-diz-que-ferrari-tv-helicoptero-sao-de-amigos-14899827 ou melhor, veja essa matéria http://oglobo.globo.com/rio/itaguai-prefeito-acusado-de-chefiar-esquema-de-desvio-de-verba-que-renderia-30-milhoesmes-14870577

Interessante que dentre os mais confiáveis, que ficaram em primeiro lugar, somente um seja um grande partido, o DEM, e os demais sejam partidos menores de centro-esquerda ou de esquerda como o PSOL, PTB, PDT e PSDC. Mas muito interessante (e triste) que os atuais baluartes da honestidade, o PSDB, o PCdoB e PV estejam elencados nessa legislatura como os piores e menos confiáveis no ranking apresentado.

Esperamos que esse tipo de informação seja mais frequente, pois expõe os partidos e os obriga a buscarem melhores pessoas e candidatos para seus quadros. Por outro lado, apesar de as eleições brasileiras serem altamente personificadas, esperamos que em algum momento essa informação possa ter ou apresentar uma frequência que lhe dote de peso, substância, significância na avaliação do mérito de partidos para nossa democracia. Sem partidos confiáveis a sociedade fica suscetível a rompantes de personalismos e personalidades, e assim pode vir um caudilho...

Interessante notar que no mundo dos fatos, pelo menos nas prefeituras do RJ, o PSDB ficou pior na fita do que o PMDB e PT, ao menos percentualmente falando. A realidade dos números, apesar de sempre discutível, demonstra coisas que muitas vezes por preconceito ou por indução de textos da grande mídia, não queremos ou não podemos ver. O ideal seria que o número de prefeitos entre o PMDB, PT e PSDB fosse igual para a comparação ser perfeita. Mas o mundo não é perfeito.. e nessa comparação 100% de reprovação para o PSDB ficou muito feio. Mas PT e PMDB também tiveram resultados muito ruins, tendo o PT problema com 55% de seus prefeitos e o PMDB com 76% de seus prefeitos.

Bem na fita mesmo ficaram o PSOL, PDT, PSDC e PTB com 100% de prefeitos sem qualquer problema suscitado em suas gestões. Meus parabéns a estes partidos. Honraram o voto de seus eleitores. Aguardamos mais notícias de seus candidatos. Se todos os partidos fossem iguais a esses, a corrupção seria muito menor e a qualidade de vida de todos os cidadãos fluminenses aumentaria muito, de uma legislatura para a outra!

Parabéns ao PSOL, PDT, PSDC e PTB que podem ser depositários de esperança na honestidade em todo o Estado do Rio de Janeiro.

Parabéns ao Globo, que fez a pesquisa, que sabemos ser trabalhosa. Isso é informação de qualidade. A democracia agradece.

p.s.: Texto revisto e ampliado.





sexta-feira, 20 de março de 2015

Blog atinge 150 mil acesso gerais em menos de 5 anos

O Blog Perspectiva Crítica atinge a marca de 150 mil acessos gerais em menos de 5 anos de existência.

Nesse caminho pudemos trocar de ideías com comentaristas, seguidores e leitores. Fizemos uma rede de informações que foca em publicar o que a grande mídia não publica, além de criticar o que ela publica, para criar parâmetro distinto, contraponto legítimo e sob perspectiva do indivíduo e cidadão em relação à pauta de informações elencada ou nõa pela grande mídia, que escreve sob prisma empresarial e banqueiro, precipuamente.

O recorde de acessos mensais foi de janeiro de 2015, quando houve mais de 6.600 acessos. O número de países que acessam os artigos do Blog excede a 40 em todo mundo. E o número de artigos já ulltrapassa 770.

Os dez países que mais acessam o Blog são:

Brasil

  103486
Estados Unidos

  24447
Alemanha

  6788
Rússia

  1439
Portugal

  1347
França

  791
Malásia

  737
Reino Unido

  722
China

 608
Ucrânia

 536

Os dez artigos mais acessados são:

4 de dez de 2010, 10 comentários
2533
27 de jan de 2012, 5 comentários
1904
19 de jul de 2012, 26 comentários
1696
4 de jun de 2013, 8 comentários
1485
4 de dez de 2012, 3 comentários
1467
1251
947
939
12 de mar de 2013, 5 comentários
789
5 de jul de 2010, 12 comentários
742

 Ficamos impressionados e felizes com essa acolhida no mundo dos Blogs Sociais e no mundo da mídia de massa.

Isso somente nos estimula a continuar em nosso caminho. E neste sentido compartilhamos a alegria de possuir atualmente 64 seguidores, com quem pouco temos contato, infelizmente, mas para quem preparamos uma surpresa: avaliamos a possibilidade de promover desconto na aquisição do segundo livro do Blogger Mário César Pacheco, que já anunciamos que está em vias de sair pela Editora Livros Ilimitados.

Também convidamos a todos a acessarem a Fan Page do Blog Perspectiva Crítica e unirem-se nesse caminho da livre e isenta informação, sob a perspectiva do cidadão brasileiro e sua família, assim como a acessarem o nosso canal do YouTube, todos intitulados "Perspectiva Crítica".

Um grande abraço!! Seguimos juntos nesta trilha da boa informação social.

Mário César Pacheco
Blogger


p.s. de 21/03/2015 - Texto revisto.

Estados Unidos decretam que a Venezuela é ameaça à sua segurança nacional. Como?!?!?!

Senhores e senhoras, vejam que interessante. Em alguns momentos aqueles lobos de má-fé, por mais astutos que sejam, acabam deixando a pele de cordeiro cair... é nesse momento em que vocÊ, leitor atento, deve ver a rápida e lépida nuance da verdadeira face do monstro que se apresenta como gentleman. Cabe a vocÊ, neste momento, adaptar seu radar natural para as "boas" ações futuras deste que em milésimos de segundo voltará em breve para sua aparÊncia de gentleman, mas continuará a ser o monstro ou lobo por dentro, agindo em má-fé, cotidianamente para te prejudicar, o teu país, os outros e seus países. O que se deixa acontecer aos outros, amanhã pode ocorrer contra você e seu país.

As recentes manchetes da grande mídia brasileira é a de que Obama declarou a Venezuela ameaça à segurança nacional dos Estados Unidos. Neste sentido os artigos abaixo e seus endereços no Jornal on Line, o G1:

"Obama declara Venezuela uma ameaça à segurança dos EUA"

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/03/obama-amplia-sancoes-contra-autoridades-venezuelanas.html

"EUA consideram uso da força contra civis na Venezuela como inaceitável"

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/02/eua-consideram-uso-da-forca-contra-civis-na-venezuela-como-inaceitavel.html


Agora, eu lhes pergunto: Como a Venezuela pode ser ameaça à segurança dos Estados Unidos da América?!?!!?

Ela está cercando os EUA? Ela promoveu atos terroristas contra os EUA? Ela sequestrou embaixadores norteamericanos? Ela invadiu os Estados Unidos? Ela atacou embarcações ou aviões militares ou civis norteamericanos? Ela degolou 21 civis, funcionários ou militares norteamericanos em território venezuelano? Ela impede a alimentação dos civis norteamericanos? Ela cerca com suas forças militares o território norteamericano ou seus aliados? Como, pergunto, a Venezuela, país que só, não é pobre por causa do petróleo, com dificuldades econômicas e sociais, exatamente está pondo em risco a segurança dos Estados Unidos?

E por que, perguntamos, o uso da força contra civis opositores na Venezuela é inaceitável para esse país magnânimo e preocupado com os direitos humanos em todo o mundo, mas, por exemplo, a violação a direitos humanos em Serra Leoa, Chade, Libéria, Guantanamo (sob responsabilidade dos EUA), não é ?

Por que a violência contra civis em determinados países é mais "inaceitável" e exige medidas e sanções norteamericanas do que a violência contra civis em outros países? Há um padrão nessa escolha de relevância da defesa de direitos humanos? Será que é porque na Venezuela tem petróleo e no Chade, Serra Leoa e Libéria não têm? Então os direitos humanos são mais importantes onde o interesse econômico é maior? Então o importante são os direitos humanos ou o interesse econômico?

E os EUA são tão ciosos com os direitos humanos assim? Veja o que a Wikipedia fala sobre Guantanamo, que ainda está aberta:

"  As condições dos presos mantidos no campo de Guantânamo foram motivo de indignação internacional e alvo de duras críticas, tanto por parte de governos como de organizações humanitárias internacionais.[3] [4] As denúncias chegaram até a Suprema Corte dos Estados Unidos."
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Pris%C3%A3o_de_Guant%C3%A1namo)

Quero deixar claro que os EUA podem impedir que altos funcionários venezuelanos tenham conta em seu país. Assim como o pode fazer contra qualquer cidadão de qualquer país. Dentro dos EUA eles são soberanos. Então, decretar essa perseguição a bens de funcionários venezuelanos, apesar de ser questionável internacionalmente, na hipótese, já que não são criminosos denunciados internacionalmente ou perseguidos criminlamente na Venezuela ou outro país, é uma medida que o país pode tomar, ao custo de sua imagem de país livre e seguro para investimentos e poupança de estrangeiros. Afinal, dessa forma, ele pode decretar que qualquer um é perseguido do Estado e tomar/bloquear bens.. a medida é obviamente ilegal e esses funcionários podem obter medidas judiciais contra esse abuso do governo de Obama, mas isso pode ser mais caro do que o valor que existe nessas contas..

Agora, DECLARAR A VENEZUELA AMEAÇA À SEGURANÇA NORTEAMERICANA?!?!?!

Qual o objetivo?

Senhores, foi assim com o Iraque. E foi provado que não havia armas de destruição em massa contra os EUA. Pior: o ataque de 11 de setembro foi perpetrado por cidadãos, inclusive da realeza, da Arábia Saudita, mas o atacado foi o Iraque, sob premissa mostrada um engôdo posteriormente. E o resultado? Iraque destruído, dividido em três regiões e criação do Estado Islâmico, que nenhuma grande mídia coloca na conta do desastre de invasão dos EUA ao Iraque. Mas contratos foram fixados com os EUA para fornecimento de petróleo.. rsrsrs

Por um acaso, a invasão do Iraque gerou, sob adminstração dos EUA, a anulação de todos os contratos com os países anteiormente contratados, em especial Rússia, China e Brasil, e a transferência desses contratos antes realizados livremente pelo governo iraquiano de Sadam Hussein, foram para empresas americanas e dos aliados que ajudaram na invasão. Foi dividido o butim da guerra, à revelia do respeito aos contratos realizados legitimamanete antes... isso é preservar a segurança do país Iraque? Isso é proteger a liberdade mundial? Isso é proteger a liberdade de mercado? Não. Isso é fazer guerra e pegar e distribuir o butim. Como vikings faziam ao invadir a Europa Continental ou o território que hoje é da Grã-Bretanha.

Se você, leitor, não conseguir ver a hipocrisia dos atos internacionais, principalmente dos EUA contra a liberdade dos outros povos, contra a segurança dos outros povos, em movimento exclusivo de proteção a seus interesses, mesmo violando o princípio da autodeterminação dos povos através de construção de imagens detestáveis dos países que em seguida pretende subjulgar, a paz mundial, a liberdade mundial, a multiplicidade de culturas, a liberdade política mundial, o princípio da autodeterminação dos povos, sua liberdade e de seu país estarão em risco.

O Blog Perspectiva Crítica deplora o decreto norteamericano que declara a Venezuela uma ameaça aos Estados Unidos. Une-se ao Unasul, Mercosul, Rússia e China, dentre outras autoridades internacionais contra esta declaração infame e expressa total e brutal decepção com a atitude do democrata e, até então, admirado político internacional, Prêmio Nobel da Paz, Barack Obama.

É óbvio que o problema é que com as últimas medidas de Maduro, que pode governar por decreto, o que é um absurdo contra a democracia daquele país (problemas deles), os Estados Unidos estão preocupados com o petróleo que é fornecido aos EUA. Mas o petróleo venezuelano é da Venezuela. Se Maduro não quiser vender mais pros EUA, eles nada podem fazer, a não ser procurarem substituto para importação, como fizemos com a Bolívia que se negou a vender gás por valores que pedimos e ainda tomaram uma refinaria da Petrobrás em seu território. Passamos a importar o gás da Nigéria. Quem perdeu foram os bolivianos que ficaram sem investimentos da Petrobrás.

O problema dos EUA é que o movimento artificial de baixa do preço do petróleo não está quebrando totalmente nem a Venezuela e nem o Brasil ou a Rússia porque a China tem comprado mais petróleo desses países. A nova geopolítica mundial com os BRICS está quebrando o sistema de poder econômico existente e ainda prevalente dos EUA-Europa-Japão, que inclui a Arábia Saudita.

Como os estoques de petróleo estão quase totalmente cheios no mundo e nos EUA, daqui a pouco não adiantará a Arábia Saudita produzir 10 milhões de barris por dia, quando produzia 6 milhões de barris, pois pode ser que não haja comprador, o que poderia ser um caos. Antes disso, a produção terá de cair e o preço do petróleo subir. Por isso as medidas americanas contra a Venezuela têm tempo limitado e curto. E durante esse período em que se tenta prejudicar essas economias do Irã, Venezuela, pré-sal brasileiro, Rússia, com a pressão de baixa no preço do petróleo e embargos econômicos e de compra a esses petróleos (Irã, Rússia e Venezuela),  e efeito indireto sobre desestímulo à produçao (caso do Pré-sal no Brasil), a China tem sido a ponta de lança do novo sistema de poder econômico internacional que tem furado essa manobra de dumping internacional do preço do petróleo pela Arábia Saudita. A China prefere pagar um pouco mais para garantir a concorrÊncia do mercado de petróelo do que ver os EUA e Arábia Saudita dominarem tudo e a submeter a própria China a poucos fornecedores. A China mostra solidariedade com as economias prejudicadas pelo movimento de EUA e Arábia Saudita e fortalece o sentimento de grupo dos Brics, assim como garante que sua economia não se submeta aos EUA e Arábuia Saudita.

O Blog já foi da tese de que o movimento de baixa do petróleo pela Arábia Saudita, via OPEP, visava desestimular a produção do petróleo norte-americano não convencional (isso foi publicado na grande mídia e, como sempre, fazia muito sentido.. o reflexo ao pré-sal pareceia meramente reflexo). Agora, em face de todos esses eventos, parece mais que ambos estão juntos nesse movimento para enfraquecer a concorrência por mercado internacional de venda de petróleo de forma que EUA e Arábia Suadita sejam hegemônicos nesssa área de energia extremamente importante para todo o mundo.

Então, desperte, leitor. Não admita a falácia de que a Venezuela seja uma ameaça aos EUA.... rsrsrs.. isso é um absurdo.. é lógico que o que ocorre é evidentemente o contrário: EUA é uma ameaça à Venezuela. E mais: a Venezuela caminha para uma ditadura? Aparentemente sim. Mas manter-se em ditadura ou não é problema do povo venezuelano. O princípio da autodeterminação dos povos determina que cada povo siga seu rumo, de acordo com suas condições históricas, sociais e culturais.

Pode-se pressionar politica e economicamente para que países que desrespeitam direitos humanos, sociais e ambientais mudem suas atitudes e posturas, mesmo que um ou outro embargo seja questionado internacionalmente. Mas não se pode intervir em país nenhum por estes motivos. Chancelar isso seria chancelar uma "cruzada" por democracia, liberdades individuais, liberdades civis e querer impô-las a países da forma como entendemos correto, assim como o Cristianismo medieval quis impor pela guerra a religião cristão a outros povos. É errado.

p.s.: texto revisado e ampliado.

 

quarta-feira, 18 de março de 2015

Blog do Theotonio dos Santos denuncia que "Movimento Brasil Livre" é mantido por doações norteamericanas

Transcreverei o artigo publicado no Blog Theotonio dos Santos que é gravíssimo e nunca será publicado em jornais de grande circulação. Além de missões estrangeiras estarem presentes na Amazônia e em tribos no Amazonas, ensinando outras línguas aos índios brasileiros, alertando-os para suas origens de "Nação Indígena" que foram espoliados pelos brasileiros, sem a intenção, claramente (rsrsrs), de convencê-los de que devem ser autônomos inclusive no que pertine à riqueza de suas "terras natais e originais", agora há a informaçõe de que movimentos populares podem estar sendo mantidos por organizações e pessoas originárias dos EUA.

O Blog Theotonoi dos Santos noticia que a movimentação de 15 de março teve apoio e organização por mais de um movimento, dentre eles o "Movimento Brasil Livre" que teria como uma de suas fontes os norteamericanos irmão Koch, através de sua fundação privada.

Você não precisa concordar com tudo o que está no artigo. O Blog Perspectiva Crítica entende que a Venezuela caminha para uma ditadura, por exemplo, mas entende que como há eleições, isso é um problema da democracia da Venezuela e suas condicionantes históricas, devendo este país seguir seu caminho autônomo e único, a bem ou a mal de sua civilização. É o princípio de autodeterminação dos povos. Mas mesmo que você não concorde emparte com o conteúdo do aretigo, seu conteúdo é muito grave para ser desconsiderado, citando nomes, movimentos fontes, pessoas e sustentando influência estrangeira na conduição de alguns Movimentos ou Associações com atividade política no Brasil.

Boa leitura.

Veja a transcrição do artigo abaixo:

"MANIFESTAÇÃO DE 1% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA

Dois milhões de pessoas, segundo O Globo, o que seguramente é uma informação inflada foram às ruas em todo o país no dia 15 de março. Esta manifestação foi convocada amplamente através das mídias sociais com apoio de toda imprensa conservadora do Brasil e do Mundo, além dos partidos de oposição e de facções de alguns partidos da base do Governo.
Poucos se dedicaram a localizar perfeitamente os autores dessa convocatória e ainda restam muitas incógnitas a esse respeito. Também foi extremamente difícil saber exatamente quais são as palavras de ordem da manifestação já que elas se apresentavam com distintas e até opostas propostas, ademais de um forte exercício de ódio com xingamentos racistas, machistas e ameaças fascistas.

Podemos fazer um primeiro exercício de compreender quem são os organizadores desse evento, pois é difícil acreditar que uma mobilização de massas programada em um período tão grande e com apoios substanciais tenha se realizado de uma maneira absolutamente espontânea. É verdade que nenhum setor responsável politicamente quis comprometer-se com a convocatória e suas palavras de ordem. Fernando Henrique Cardoso, por exemplo, fez declaração as vésperas da manifestação opondo-se claramente à ideia do impeachment. Aécio Neves, candidato à Presidência pela oposição e Presidente do PSDB, disse apoiar o movimento mas não participar para que não seja acusado de propor um terceiro turno.

Informações dos Estados Unidos indicam que a visita do Vice-Presidente Joe Biden é sempre um sinal para as tentativas de mobilização de massa apoiadas nas técnicas de "guerra psicológica" comandadas pela CIA e, neste caso, apoiadas inclusive por setores do Departamento de Estado (Ministério de Relações Exteriores dos EUA).

Também existem informações de que um dos principais grupos que convocaram a reunião, o Movimento Brasil Livre, recebe ajuda - entre outras fontes - da Atlas Economic Research Foundation dos irmãos Koch (ver:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/03/quem-financia-os-meninos-do-golpe.html).

Como uma extensão do Movimento Brasil Livre, participam também da convocatória os “Estudantes Pela Liberdade”, também financiados pelos mesmos irmãos Koch, com uma finalidade específica de convencimento dos jovens dos ideaisultra liberais que são apontados como garantia econômica de suas carreiras profissionais.

Grupos de "bloggeiros" menos articulados como o "Vem Pra Rua" e o "Revoltados Online" também participam da convocatória através de palavras de ordem mal articuladas e pouco coerentes, reduzindo seu público a um campo mais emocional do que político.

Em seguida estão também os grupos voltados explicitamente para o impeachment como instrumento do golpe de Estado. Há várias tentativas dos meios de comunicação de isolar esses grupos dificultando sua clara identificação.

Como se vê, trata-se de uma convocatória aparentemente espontânea, mas na realidade é bastante clara a fonte principal da mesma. O Jornal O Globo destaca a presença de bandeiras verde e amarela no movimento, mas se vemos o setor predominante da convocatória estaria mais adequado colocar a bandeira dos EUA como, por sinal, vários manifestantes se apresentaram (ver a foto que abre este Artigo). Ninguém pode pensar que ajudas econômicas deste tipo tenham um caráter de solidariedade. As ofensivas que os EUA está realizando no Mundo inteiro no momento atual têm passado por convocatórias similares que não deram nenhum resultado histórico positivo até hoje.

O último caso que se pode ver é o da Venezuela. Não só se aplica nesse país as técnicas da "guerra psicológica" como também da “guerra econômica” com apoio de uma rede de comunicação das principais mídias da região. Nos últimos anos os EUA desenvolveu uma tecnologia de exploração de petróleo e gás, o “fracking”, que lhe permite ameaçar com a diminuição de sua importação de petróleo buscando a queda de seu preço no mercado mundial.

Contudo essa tecnologia é um dos mais graves ataques ao ambiente no mundo contemporâneo, ela introduz massivas quantidade de ácido nos lençóis freáticos trazendo graves consequências para uma das mais raras riquezas naturais do Mundo: a água. Essa tática, contudo, visava a queda das economias não só da Venezuela, como do Irã, da Rússia e, inclusive, o Brasil. Se alguém tem dúvida disto veja as campanhas movidas pelos EUA nos últimos meses e anos, chegando a ameaçar uma guerra mundial contra a Rússia. No caso brasileiro, os EUA não conseguiu nenhuma participação na exploração do pré-sal e, no caso venezuelano, os EUA não só está afastado das imensas reservas do Vale do Orinoco, como se converte em um inimigo aberto através do seu envolvimento profundo a favor da violenta oposição ao Governo do Partido Socialista Unificado da Venezuela. Oposição esta marcada por tentativas de golpe de Estado em 2002 e várias outras táticas entre as quais as tentativas de negar a vitória do Presidente Maduro nas últimas eleições.

Sabemos bastante como as denúncias sobre as estratégias dos EUA são atribuídas a uma teoria conspiratória da história, mas só não vê estas políticas e esses objetivos estratégicos o conhecido personagem: o pior cego, que é aquele que não quer ver.

Quando um país decreta que está sendo ameaçado na sua segurança por outro país não existe nenhuma dúvida de que pretende dar um conteúdo militar as relações mútuas entre eles. Esta pretensão de estar ameaçado em sua segurança pela Venezuela é muito mais ridícula do que a pretensão de que o Governo do Iraque dispunha de armas terríveis capazes de ameaçar os EUA. Provou-se que não existia. Vimos também EUA invadir o Iraque para responder a uma ação de sabotagem realizada nos EUA derrubando as Torres Gêmeas, quando ficou mais do que provado que a ampla maioria dos que participaram nesses atentados foram cidadãos da Arábia Saudita. Mais grave ainda, é o fato de que estes “agentes terroristas” estavam liderados por um membro da nobreza que governa esse país. Por sinal, não propriamente através de um regime democrático.

A resposta à uma acusação tão fantasiosa, tão despectiva, tão prepotente expressada pelo decreto de Obama tem sido contundente. Rússia, China e toda a América Latina se solidarizaram com a Venezuela.Seguramente a grande maioria das Nações Unidas confirmará essa oposição ao decreto estadounidense.

É extremamente importante ressaltar a declaração da UNASUL que reúne todos os países da América do Sul, inclusive aliados mais ou menos declarados dos EUA. Em reunião do seu Conselho de Ministros das Relações Exteriores a UNASUL não só critica o decreto executivo que declara que "a situação da Venezuela constitui uma ameaça incomum e extraordinária para a segurança nacional e a política externa dos EUA", assinada em 09/03/2015 pelo Presidente dos EUA Barack Obama, como solicita também a revogaçãodo mesmo. Estamos as vésperas da Cúpula das Américas que reúne todas as Nações americanas, exceto Porto Rico, que é considerado um mero estado associado dos EUA. É necessário assinalar que todos os países da região se negaram a participar dessa Cúpula se não estivesse presente a República de Cuba, obrigando o Governo Americano a apressar o reconhecimento deste país.

A ofensiva norte americana tem encontrado graves restrições no Oriente Médio, na provocação na Ucrânia, na consolidação do Iraque pós derrota norte americana, no Afeganistão e, também, nas derrotas nas eleições brasileiras, venezuelanas, chilenas, nicaraguenses, bolivianas, equatorianas e salvadorenhas nos últimos anos. Agora quando a exploração do“fracking” ameaça as águas norte americanas sem ter conseguido quebrar os seus inimigos, mas sim provocando quebras de empresas ligadas ao “fracking” dentro dos EUA, torna-se cada vez mais urgente para Obama apresentar alguma vitória. Esperemos que as ambições empresariais de privatizar a Petrobras ou pelo menos mudar o regime de partilha não sejam atendidas por importantes setores do povo brasileiro, mal informados, que seguramente são majoritários.

O governo brasileiro necessita entender que uma política macro econômica baseada no aumento de taxa dos juros pagos pelo Estado sobre uma dívida que não foi feita para atender nenhuma necessidade do nosso povo não é certamente uma política capaz de unificar as forças mais progressistas de nosso país. A desculpa de que esses juros altos são necessários para deter a inflação é absoluta e radicalmente contestada pelas maiores autoridades em Economia Política do Mundo. O arrocho fiscal que a direita está impondo ao governo popular é um erro extremamente grave. Durante 3 anos tivemos o aumento da taxa de juros acompanhado do aumento da inflação. Para manter esta situação surge a desculpa de que o aumento da inflação obriga a aumentar a taxa de juros para contê-la. O Governo se vê obrigado então a cortar gastos, o que incide fundamentalmente sobre as grandes maiorias, sobre o investimento e sobre a taxa de lucro médio que é determinado em grande parte pela taxa de juros.

Enquanto os EUA reduz a zero a taxa de juros de sua colossal dívida, o Japão faz o mesmo, a Europa a diminui também em menor proporção, o nosso Banco Central pretende salvar o país da inflação com o aumento desproporcional da taxa de juros. Enquanto as principais economias do Mundo temem a deflação,“o nosso Banco Central teme a inflação” e, pior ainda, provoca uma inflação crescente. Enquanto persistir este enfoque econômico profundamente anti popular e equivocado haverá razões para grandes mobilizações contra o Governo, as quais podem ser aproveitadas pela oposição, a qual estaria fazendo o mesmo se estivesse no Governo.

2 milhões de pessoas são 1% da população brasileira. Isso mostra que as técnicas de "guerra psicológica", com o apoio de todo o sistema de comunicação do país, não consegue dominar totalmente a mente e as emoções do povo brasileiro. Mas isto não quer dizer que a uma equivocada defesa da política econômica do Governo não criará condições para que essa "guerra psicológica" tenha maior apoio social. Os outros erros são menores e sempre existem razões para que ocorram, nenhum Governo é perfeito, mas uma questão grave que involucra a metade dos gastos públicos e o empoderamento de um setor financeiro inútil não pode ser a resposta de um governo popular e muito menos de Partidos de Esquerda que tem compromisso com as forças populares aos desafios articulados pelo poderoso sistema de poder da direita mundial.

Continuidade das políticas sociais, proteção à Petrobras, processos independentes aos corruptos, taxas de juros voltadas para o desenvolvimento humano e sustentável, garantias dos direitos dos trabalhadores, fim dos "ajustes fiscais" a serviço do pagamento de juros, mobilização dos trabalhadores em torno de princípios e objetivos que atendam às suas necessidades, política de integração latino americana, aliança com os BRICS, defesa da soberania das Nações oprimidas, defesa de nossas riquezas naturais, esses são os caminhos para que muito mais que 1% venha as ruas, mas dessa vez para defender os objetivos históricos que levaram a constituição de um governo popular no Brasil."
 
Devemos estar atentos a informações desta natureza. A gravidade é grande demais para simplesmente ignorarmos e rotularmos como mera informação ridícula com base em "teoria conspiratória". A atividade de espionagem industrial, política e geopolítica de países estrangeiros em territórios internacionais e extranacionais é comunérrimo, de conhecimnento de toda a classe educada de um país como o nosso e não é possível simplesmente se ignorar todas as ponderações equilibradas do artigo acima transcrito.
 
Cumprimos nosso papela de informar o que nunca será publicado em jornal de grande circulação. Na nossa avaliaçãoa questão é gravíssima e deveria, se já naõ é, ser objeto de investigação da Políca Feral, da Abin e dos Serviços de Inteligência das Forças Armanadas do Brasil. Manifestações legítimas, sim. Espontaneidade do brasileiro e participação política, sim. Mas atuação indireta ou direta de organismos estrangeiros para desestabilizar governo brasileiro, não. Se há isso, é importante que se investigue. Se não há, é importante que se investigue para se concluir isso também. Denúncia grave deve ser investigada. Esse é o caso.
 

Análise Política dos Movimentos Brasileiros dos dias 13 e 15 de março de 2015

Primeiramente é importante que se diga que a sociedade brasileira parece ter saído da inércia e da abjeção a movimentos de rua. A classe média alta em especial. Mas a sociedade como um todo está indo mais às ruas reivindicar. Isso nos aproxima de experiências políticas como as que acontecem na França e é o que o Blog Perspectiva Crítica quer para o País.

Naturalmente houve movimentos de rua no Chile, Venezuela, Argentina, além dos movimentos "Occupy" por mais de cem cidades nos EUA e outras tantas no mundo... cada uma delas tem seus motivos e a correlação desses movimentos pode ser interessante para analisar as causas que mobilizam um povo, mas essas movimentações de junho de 2013 aliadas às de 13 e principalmente 15 de março são especialmente importantes para o nosso país e não guarda correlação direta com as da Venezuela, Argentina e nem a dos EUA. Tem uma correlação maior com os movimentos do Chile por mais investimento em educação e previdência pública (que lá foi privatizada) e muito maior com os movimentos cívicos praticamente rotineiros na França em que os cidadãos demonstram força e realmente influenciam o governo, mobilizam os políticos e alteram gastos orçamentários.

É importante que se veja que sem o povo nas ruas, infelizmente, os políticos fazem o que querem com o orçamento que é o dinheiro público previsto para administração pelo Estado, que é todo o Erário. E quando os políticos fazem o que querem com o orçamento, as empresas, que ainda os financiam em suas campanhas políticas, os bancos e a grande mídia são quem dizem onde se deve gastar o orçamento público, independentemente do que seja melhor para a sua família. Esses centros econômicos e sociais do poder defendem seu interesse e de sua família diretamente? Não. Então eles não devem, sozinhos, dizer onde gastar o orçamento público. Mas é o que até junho de 2013 faziam.

Em 2013, em junho, com a "Primavera Brasileira", denominada assim por este Blog e por muita gente à época por analogia aos recentes e próximos movimentos libertários da "Primavera Árabe" na ocasião, o povo reivindicou espontaneamente nas ruas: corte de 0,20 centavos na passagem de ônibus (em especial em São Paulo, estopim do movimento que se espalhou pelo Brasil), saúde e mobilidade urbana (todas as capitais estavam um caos de trânsito com deslocamentos de até duas horas para o trabalho e depois outras duas horas pra a volta para casa). Reclamava-se que para a Copa do Mundo o dinheiro ia fácil, mas para escolas e hospitais, para as necessidades da população não iam.

O que ocorreu? Em julho o governo federal criou o Programa Mais Médicos, gastando mais 1,5 bilhão de reais por ano só na contratação de 14 mil médicos brasileiros e estrangeiros para atuar no interior e cuidar de 56 milhões de pessoas que não tinham atendimento médico. Ou seja, o brasileiro nas ruas criou consenso nacional e os políticos gastaram o orçamento da maneira como foi pedida. O mesmo aconteceu com a mobilidade urbana: o governo disponibilizou imediatamente, em julho após a manifestação, 50 bilhões de reais (vejam bem.. 50 bilhões de reais!!) para rodovias, trens, metrôs, para garantir a mobilidade urbana.. e já foram gastos ou contratados mais de 80 bilhões nessa rubrica construindo metros, VLTs e corredores de ônibus por todo o país, desde então, o que, em alguns anos, melhorará a mobilidade urbana.

Esses valores não iriam para a contratação de médicos e obras para garantir a mobilidade urbana se o povo não pedisse e não demonstrasse sua revolta. Então os movimentos populares são uma forma de apoderamento do orçamento público. A sociedade ainda não entendeu isso. Na França a sociedade sabe disso. Aqui estamos iniciando. Temos de entender que os movimentos populares criam pressão e consenso social e político para a adoção de medidas governamentais. Movimentos de rua têm o poder de se apoderar do orçamento público.

Ciente disso, a sociedade brasileira deve passar a fazer mais movimentos com pedidos específicos. Não deve pedir mais educação. Isso é genérico. Deve pedir mais universidades, mais qualidade no ensino, plano de carreira para professor e salário de R$15 mil reais para professores em todo o Brasil. Isso não garantirá esse valor para professores, claro, mas o tema salário do professor e valor entrará na pauta pública,

O mesmo para saúde. Não se deve pedir mais saúde. Deve se pedir plano de carreira para médicos e salário de no mínimo R$10 mil reais, R$15 mil reais, para que os médicos públicos possam se dedicar à saúde pública. Não dá para imaginar saúde pública de qualidade com médicos ganhando R$3 mil reais.

O mesmo para a segurança. Policial que ganha R$2 mil reais terá uma dedicação diferente de um policial que ganha de R$4 mil reais a R$6 mil reais. O que ganha dois mil terá de complementar renda e fica mais suscetível a não atender a exigências do comando porque o risco de perder R$2 mil reais é compensado com a possibilidade de obter isso em outro emprego ou na iniciativa privada. Vendedores de cuscus podem ganhar até 6 mil reais por mês e não pagam imposto de renda...

Enquanto a grande mídia e os baluartes do Estado Mínimo e políticos mandarem no orçamento, sua vida melhorará aos poucos, mas com movimentos de rua e percepção do poder de apoderamento do orçamento público que estes movimentos têm, sua vida pode mudar rapidamente de qualidade. Cito um só exemplo: saúde e educação. O Estado Mínimo, a mídia e os políticos não defendem plano de carreira para médico e professor público e nem compatibilidade de salários com sua complexidade laboral. Contratar médicos, professores e pagá-los é "gasto público". Mídia de mercado e políticos gostam mais de obras, para que empresas recebam dinheiro do orçamento e políticos recebam propinas e paguem suas dívidas de campanha. "Obras públicas", então, são "investimento" e você é obrigado a pagar plano de saúde e escola privada para ter saúde e educação básica de qualidade. (ver p.s. de 19/03/2015)

Portanto, se houver movimentos populares exigindo investimentos em educação e saúde, mas dizendo como gastar o dinheiro público, aumentando salário de professor e médico, por exemplo, podemos amanhã ficar como o Canadá, França ou Alemanha, em que você não paga plano de saúde para ter saúde básica e nem escola privada para garantir um mínimo de qualidade para a educação de seus filhos. Você pagará plano de saúde e escola privada para ter um plus de serviço de educação e saúde. E assim você se apodera do orçamento público que hoje é de propriedade de empresas financiadoras de campanhas de políticos, dos políticos e da mídia de mercado que tem o poder de criar consenso na sociedade para o fato de que servidor público é gasto, mas obras são investimentos.

Isto foi a análise quanto ao teor mais intrínseco dessa maravilhosa forma de expressão popular que a mídia trata como quase uma festa, mas na verdade esconde e distorce o poder dessas manifestações que é o de o povo se apoderar do orçamento. A mídia não pode dizer isso. Se ela disser, leitor, você vai entender o real poder que você tem e vai passar a fazer demandas que vão competir com o que a grande mídia, bancos, empresas e políticos dizem que deve ser o gasto do orçamento. Isso ela não pode alimentar.

A consciência do cidadão sobre seu poder de influenciar o orçamento cria concorrente com a grande mídia, mercado e políticos sobre como gastar o orçamento público... e esse concorrente é você!! Cuidado. Se você se tornar consciente disso você poderá deixar de pagar plano de saúde e escola privada pra seus filhos e economizar uma fortuna anual de dinheiro para moradia, lazer, cultura, alimentação e vestuário. Rsrsrsrs E o pior, pode deixar a mídia, políticos e o mercado com menos ingerência sobre o orçamento público... e eles podem ficar tristes.. me dá uma dó.. continue sem entender o poder das manifestações que assim mídia, mercado e políticos podem continuar destinando livremente as verbas do orçamento contra a sua qualidade de vida e a favor de enriquecimento deles e das propinas de políticos.

Agora a análise da forma das manifestações.

O movimento de junho de 2013 foi totalmente espontâneo. A mídia não sabia nem como abordar o tema. Não sabiam quem estava fazendo e o que pedia. Então, em matéria de absoluta espontaneidade, esse movimento foi o melhor, por excelência. Não porque ninguém sabia o que ocorria, mas porque não teve influência de políticos, partidos ou da grande mídia. Já o movimento de 15 de março, que foi importante, foi mais construído. A mídia por mais de seis meses publicou sobre corrupção, não sem razão, colocou a figura da presidente Dilma sob desconfiança. Ponderou o envolvimento de pessoas mesmo que não tivessem sido denunciadas, como Lula e Dilma, comparou o governo brasileiro com Venezuela, disse que os investimentos em Cuba foram ajuda fisiológica e ideológica com dinheiro público, assim como contratação de médicos cubanos. E por fim, após as eleições, massificou a informação e postura da oposição de que a Presidente mentiu e fez tudo ao contrário do que disse e afirmou que seria possível um impeachment.

A grande mídia e a oposição têm o direito de falar o que quiserem. A comunicação do governo com a sociedade é ruim e a sociedade não têm uma mídia concorrente da grande mídia para enaltecer a perspectiva do que realmente aconteceu, como nós no Blog já explicamos no artigo "Dilma traiu seus eleitores?". Mas o fato para nosso artigo aqui é que a sociedade não aguentou mais essas manchetes e acabou tomando uma atitude e indo às ruas protestar contra o quê? Corrupção, Petrobrás e pedindo Impeachment da Presidente da República, além de desfazimento de medidas de austeridade econômica e previdenciária que estão sendo cunhadas irresponsavelmente pela oposição e pela mídia de medidas contra direitos dos trabalhadores.

Então, perceba, não houve surpresa de temas. Os temas foram os veiculados na grande mídia. É claro que não foi a grande mídia que fez o movimento, e a legitimidade da movimentação não se discute, mas é diferente do que ocorreu em junho de 2013 e por isso há o hashtag "#globogolpista". É golpe? Veja, golpe é revolução à margem da lei. A manifestação não é golpe algum, mas impeachment sem fundamento é. Para as pessoas no movimento era um desabafo e um pedido de punição exemplar, mas o Blog não apoiou o movimento incondicionalmente justamente porque pediam impeachment e isto é uma violação constitucional e legal, com o que se apresenta de fatos contra Dilma até hoje. Violar o Presidente e seu mandato é violar a vontade da maioria dos brasileiros. Isso nem nós, que votamos em Aécio podemos admitir. Não porque é Dilma, mas porque é o Presidente do Brasil. Manchetes de jornal, presunções de que a "Presidente sabia de tudo e foi omissa e deve ser condenada por improbidade administrativa" não são fatos objetivos e nem provas e não fundamentam impeachment.  O dia em que puras manchetes de jornal e suas ilações abrirem processo de impeachment, acabou a autonomia de Presidente e a eleição de presidente, pois a grande mídia mandará no País, sozinha.

Não é demais ponderar que metade do Brasil votou em Aécio, mas apenas um por cento, ou seja, 2 milhões de brasileiros foram às ruas, mesmo sendo domingo. Mas a movimentação é totalmente legítima e como Miro Teixeira publicou ontem no jornal O Globo, a classe média tem o poder de mudar o País sim. Todas as revoluções foram feitas pela classe média: francesa, americana, russa, cubana..

A classe média alta tem razão de reclamar. O governo Dilma e Lula privilegiou muito mais pobres e ricos do que a classe média. O que fica evidente é que o PT se descolou da classe média  e média alta. Classes A e B. Quais os benefícios para essas classes? Não há aumento para servidores públicos, não há aumento para policiais, médicos e professores públicos. Não há assistência pública de saúde e educação e justiça célere que diminuam gastos do cidadão de classe média (A e B). Os filhos de brancos estão sendo excluídos das universidades públicas, um dos poucos serviços públicos que chegavam à classe média alta. O transporte público é pífio, o trânsito caótico. Não se pode ir dignamente ao trabalho e nem voltar dele. Perde-se tempo de estar com a família, amigos e de lazer. Fora isso, as recentes informações econômicas são ruins (mesmo que em perspectiva e comparativas com Europa e EUA em mais de 7 anos não sejam ruins) e a inflação (dentro da meta ainda em 2014 mas talvez fora em 2015) come os salários (que foram reajustados acima da média da inflação nos últimos 7 anos em média, na área privada). Há muito motivo para dor de cabeça da classe média.

Mas chamou muito a atenção do Blog Perspectiva Crítica que as demandas já tivessem sido objeto de ampla e extensa divulgação  e críticas das publicações da grande mídia e, inclusive, que tenha sido pedido impeachment contra Dilma, sem que ela tenha ainda nada de concreto contra si, e não tenha sido pedido o afastamento do Presidente do Senado Rena Calheiros ou o do Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, mesmo tendo ambos contra si inquéritos em tramitação no Supremo Tribunal Federal.

Também parece ter ficado de fora da manifestação a cobrança do julgamento dos mensalões de Eduardo Azeredo, do PSDB, o do Arruda , do DEM, que movimentou sete vezes o valor do mensalão do PT, bem como não houve manifestação contra o PSDB, apesar de o Petrolão e sua lista de denunciados tenham dois figurões do PSDB: Anastasia, ex-governador de Minas Gerais e Senador por Minas, além do falecido Sérgio Guerra (PE), ex-presidente do PSDB acusado de receber 10 milhões de reais para o PSDB sob a promessa de melar a CPI da Petrobrás. Ambos próximos a Aécio, que foi cogitado para a lista e dela constava, mas foi retirado pelo Procurador Geral da República antes da apresentação so STF. Isso parece uma incongruência para uma manifestação que está nas ruas contra a corrupção em geral. Ou é só contra corrupção do PT? Ou é a vontade de que Aécio esteja na Presidência, mesmo não tendo sido eleito a tanto? Não é melhor esperar a outra eleição? Não seria mais democrático?

O recado foi bom.  A manifestação sempre é boa. O importante é que a população consiga fazer mais movimentos sem depender tanto das provocações da grande mídia. A internet permite isso. E é importante que que a sociedade passe a se manifestar de forma cada vez mais autônoma e espontânea, apoderando-se do orçamento público e dizendo onde o quer gastar. Isso é que seria revolucionário. Aí a manisfestação de 15 de março terá seu lugar histórico devido: uma em meio a outras que mudaram a participação popular na formulação e execução do orçamento público em benefício das famílias, retirando verbas do orçamento que eram livre e certamente destinadas somente a empresas, bancos e a políticos.

Quanto ao movimento de 13 de março, não foi ilegítimo, igualmente ao de 15 de março. Eram a classe trabalhadora organizada: sindicatos, CUT, MST. Por mais que a grande mídia e a elite não queira, são parte da população brasileira. Mas o próprio Jornal O Globo entrevistou algumas pessoas que estavam ali dizedno que tinham votado em Aécio, mas não admitiam que se retirasse a Dilma. Isso é fantástico. É a posição do Blog, sem tirar e nem por.

O movimento foi bem menor com um total contado pela grande mídia de 157 mil no máximo. Mas foi dia de semana e é mais difícil que sertanejos que receberam cisternas para captação da água da chuva (800 mil), deixando de andar 2 km com lata d'água na cabeça, se mobilizassem para fazer passeata enquanto lutam contra a sede e fome.. rsrsrsrs

Mas foi bom que tal contingente se apresentasse para não parecer que o governo está isolado e sem nenhum apoio popular. A ausência de 48 milhões de eleitores de Aécio às passeatas de 15 de março também é alguma evidência de que o País não está tão à beira do caos assim e de que a vontade de decapitação de Dilma e do governo federal não é tão inconteste assim..

A existência de manifestações pacíficas nos dois sentidos, de defesa e ataque, ao governo é bom sinal. Não é sinal de bolivarianismo, como a grande mídia quis rotular. Legítimo é só o movimento contra o governo? Cremos que não.

Para muitas pessoas é difícil ver os movimentos de forma fria como apresentamos, pois como se identifica com uma causa ou com outra acusará o Blog de parcialidade. Analisamos os fatos e também temos o direito de apresentá-los como se nos mostram. Nossa imparcialidade é infinitamente superior à da grande mídia. Mas o mais importante, que a grande mídia não diz e que a sociedade não vê, é que a sociedade aprenda que as manifestações, com pedidos específicos, têm o poder de tornar o povo (ricos, classe média e pobres, todos juntos) concorrentes ativos da mídia de mercado, políticos, empresas e bancos em relação à determinação de gastos do orçamento público.

O maior benefício democrático que essas manifestações podem trazer à nossa sociedade é despertar a consciência de que o povo pode se apoderar do orçamento e determinar gastos públicos no que queira e entenda que melhora diretamente sua vida.

Parabéns a todos os participantes de todas as manifestações populares contra ou a favor do governo. Desde que não defendam ilegalidades e inconstitucionalidade, como a intervenção militar e impeachment sem fundamento objetivo ainda, são todas producentes e amadurecedoras de nossa democracia.

p.s.: O Blog do Theotonio dos Santos publica, juntamente com ooutros artigos em outros Blogs, a denuncia de que o movimento de 15 de março teria sido instigado e originado após a visita do Vice-Presidente Joe Binden à Dilma Roussef para pedir alteração do regime de exploração de petróleo de partilha para concessão, abandono da construção de linha de cabo submarino ótico para transmissão de informações de internet entre Brasil e Europa (em construição com a Europa após a descoberta de que a NSA e Aa CIA espionavam e grampevam celulares e computadores dos presidentes da França, Alemanha e Brasil - o "Five Eyes"), bem como pediu para que a Petrobrás deixasse de ser operador exclusivo do pré-sal. Dilma se negou a tudo. Segundo esses artigos, depois disso começou uma ofensiva midiática e de guerra psicológica contra o governo, incitando a população contra o mesmo. E inclusive a organização das manifestações, que passaram palavras de ordem via whatsapp e facebook e outras mídias, que a grande mídia se esforçaria em esconder, originaria de grupos financiados por pessoas e instiuições norteamericanas identificadas no artigo recente do Blog do Theotonio dos Santos como "Movimento Brasil Livre", financiado, dentre outras fontes, pela Atlas Economic Research Foundation dos irmão Koch. Leia o conteúdo da denúncia de Theotonio dos Santos, dizendo que este é o sistema pelo qual a CIA vem atuando no mundo contra países e movimentos que desinteressam aos EUA no Brasil, Rússia, China e outros países em http://theotoniodossantos.blogspot.com.br/2015/03/manifestacao-de-1-da-populacao.html

O Blog Perspectiva Crítica não pode afirmar sobre essa movimentação da forma como Theotonio, através do autor David, que assina a matéria, denuncia. Mas reconhecemos que houve incitação da população contra o governo pela grande mídia e que as pautas dessa manifestação de 15 de março era a mesma do artigos da grande mídia, inclusive havendo a falta de pedido de afastamento dos Presidentes da Câmara e do Senado, o que, fosse movimento mais contra a corrupação do que contra o governo, com certeza faria parte das reivindicações populares. Também não houve pedido de conclusão dos processos do mensalão do DEM e do PSDB e nem manifestação pela prisão de Anastasia ou revolta contra a denúncia de que o ex-presidente do PSDB tivesse recebido propina de 10 muilhões de reais para o PSDB por ocasião da CPI da Petrobrás. Vemos que a espontaneidade não foi a mesma da movimentação de junho de 2013, sem deixar de ter legitimidade, claro. As origens da mivoimentação aguçam nossa curiosidade. A denuncia de Theotonio deve, no mínimo, chegar ao público. O Globo publicou pequena nota depreciativa, ao nosso ver, sobre a acusação de que a movimentação teve origem em movimentos da CIA. Cumprimos nosso dever informativo, neste tocante.

p.s. de 19/03/2015 - Texto revisado e ampliado. A prestação de serviço público de saúde e educação por ongs, cooperativas e instituições privadas, sob o argumetno de mais eficiência, também é forma de a área privada se apoderar de orçamento público e cargos públicos para suas contratações por currículo (diplomas de Harvard e estrangeiras ganharão dos diplomas de faculdades brasileiras, não esqueçam.. é o cerne da meritocracia.. rsrsrs) que alijam o cidadão dos cargos públicos e de opção de emprego, além de esxtinguir a democracia do preenchimento desses cargos. É claro que isso não se publica na grande mídia.. rsrsrs. E isso não quer dizer mais economia para o Estado... Saibam que enquanto médicos municipais do RJ ganham R$ 4 mil a R$6 mil reais, os 2/3 de atuais médicos privados contratados por Ongs e Cooperativas custam R$18 mil, segundo informações de fontes nossas. Desses valores os médicos privados ficam com uns R$8 mil, enquanto o restante vai para a Cooperativa ou Ong, naturalmente parte desse valor vai para campanhas dos políticos que contrataram a cooperativa. O sistema funciona como máquina de financiamento da campanha seguinte, ao que parece. Cabe à polícia, TCE e Ministério Público verificarem essa correlação... mas o médico privado contratado pelo Estado ganha mais que o público e o Estado gasta até 3 vezes mais imediatamente por um médico. Essa é a eficiência da implantação do modelo de privatização do serviço público de saúde. Bom para médico que não fez concurso público, bom para políticos, bom para ongs e cooperativas e péssimo para você, sua família e candidatos a concrusos públicos apra preenchimento de cargos de médicos públicos, principalmente para o smédicos que não têm rede social, network, links familiares ou de amizade com grandes redes de hospitais ou com os amigos do governo que criam as cooperativas e ongs que serão contratadas a substituirem o serviço público de saúde. É a "Romanização da Adminsitração Pública", tema de artigo já publicado deste Blog.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Elogio à mudança de postura do Globo: Swiss Leaks - E a diferença entre o caso Petrobrás e o caso HSBC Suíço

Aplaudimos o resgate da omissão da grande mídia, em especial o Jornal O Lgobo, em passar a publicar em manchete sobre o caso grotesco e estapafúrdio de o HSBC Suíço manter depósitos de pessoas ligadas a crimes. A lista dessas pessoas é extensa e inclui ditadores africanos, Hugo Chavez e suspeita-se que políticos, traficantes de drogas e armas também estejam entre os clientes do banco suíço.

Naturalmente não é função de nenhum banco investigar a vida pregressa de seus candidatos a clientes. Banco é uma empresa e faz negócios. Como seus clientes obtém os valores e como os gasta não é problema do banco. Mas é interessante que o vazamento das informações tenha demonstrado o o grande númeroa de pessoas com fama duvidosa e que respondem por crimes e que mantém seus negócios com o HSBC Suíço.

A ética é possível no ramo financeiro e movimentos suspeitos, ao menos no Brasil, devem ser informados ao Fisco... afinal, manter contas que servem à lavagem de dinheiro ou mantuenção de negócios para traficantes é participação em crime, se for provado a ciência dos diretores, gerentes ou presidente do banco..

Soubemos de um grande banco brasileiro que se negou a permanecer com uma conta de 2 bilhões de reais porque o responsável pela empresa que seria a cliente do banco se negou a negociar com o executivo desse grande banco pelo fato de o executivo ser negro. É.. isso existe, senhores...

Ao chegar ao conhecimento do presidente do grande banco brasileiro de que não havia razão específica declarada, nenhum ato deselegante proferido pelo executivo, nenhuma reclamação sobre sua capacidade técnica, para que o negócio não fosse efetivado com o executivo do banco encarregado do caso e tendo ficado claro a todos que, mesmo não declarado pelo cliente, foi notório que o problema para o fechamento do negócio era exclusivamente a cor da pele do executivo do banco, o presidente do banco ligou imediatamente, no meio da reunião e determinou a não aceitação da conta e indicou outro estabelecimento para o cliente para não deixá-lo sem alguma direção, já que já estava atônito com a surpresa da negativa de aceitação de conta vultosa e por conta de sua atitude discriminatória.

Agora, vejam, se um banco brasileiro pode se nagar a receber uma conta de 2 bilhões de reais porque o preposto de seu pretendente a cliente se comportou  de forma discriminatória na entrevista de fechamento de negócio, será que não se pode exigir que o HSBC Suíço, nesse país maravilhoso, de cidadãos bastante orgulhosos da correção de seus comportamentos... rsrsrs.. não abra contas para ditadores africanos que matam seus cidadãos? Ou para pessoas que respondem por evasão de divisas, tráfico de drogas, corrupção, tráfico de armas?

Pelo menos agora, quinze dias após publicarmos ess assunto, a grande mídia resgata essa dívida informativa com a sociedade. É interessante ver que a corrupção é grande e gigantesca na área privada, somente para perceber que o mito de que a corrupção é exclusiva e endêmica no setor público é nada mais do que isso: um mito.

A Receita Federal e o Ministério de Justiça já estão pegando os nomes dos 8 mil brasileiros que possuem essas contas para iniciar investigações. Convém mencionar que a Suíça cresceu economicamente lavando dinheiro nazista e posteriormente de outras operações escusas de tudo quanto é criminoso, político corrupto, empresários corruptos e sonegadores, em todo o mundo.

Desfazer a mística da conduta sempre correta dos países ricos em contraposição mitológica à conduta sempre corrupta e incorreta de países emergentes é importante para amenizar o preconceito de que nosso país e sociedade são vítimas.

Se vocês procurarem as origens do próprio banco HSBC encontrarão conexão com o financiamento e apoio à operações de produção e tráfico de ópio na China, e, inclusive, quando o governo chinês na última metade do século XIX, tentou impedir essa produção, tráfico e financiamento de operações ilegais, houve o mivimento financiado pelos empresários ingleses que se beneficiavam do tráfico do ópio que com o apoio da Inglaterra conseguiram instituir um território livre para tais negócios: Hong Kong. Daí o nome do banco Hong Kong Shangai Bank - HSBC. Procure no Google você mesmo. Essas informações foram retiradas de lá.

Agora você veja.. a glamourização dos centros ricos de poder econômico e político nunca têm contra si a divulgação dessas origens calamitosas e anti-éticas.. a prescrutação de origens e causas malévolas de atividades somente é praticada contra instituiço~es e movimentos que defendem direitos de cidadãos, pobres ou não. Mas não seria do seu interesse ter ciência disso que se divulga pela grtande mídia, somente agora, e disso que nós trazemos a você? Não é de seu interesse pisar em um banco e saber se você faz negócios com pessoas e com uma instituição privada bancária e estrangeira que ajudam o tráfico, a lavagem de dinheiro, a evasão de divisas e a corrupção em todo o mundo e que goza da reputação histórica de ter colocado em risco a soberania de um país em que atuou para manter seus interesses negociais escusos? Isso não abala a credibilidade dessa instituição? Não.

Não porque é um banco. Nõa por que é um banco estrangeiro do centro do poder econômico mundial. Não porque, ao contrário do que se faz com a Petrobrás, o caso será tratado como fato isolado e não terá grande repercussão na grande mídia mundial. Por quê? Porque a grande mídia mundial serve a um sistema de poder que visa instituir o Estado Mínimo, regras de mercado que privilegiam os países ricos, em todo o mundo e nesse núcleo de organização mundial em prol do chamado Consenso de Washington estão o bancos privados internacionais e os centro financeiros europeus, americanos e japoneses.

Assim, é possível destruir a reputação da Petrobrás, mas não é possível se publicar muito sobre atividades sustpeitas de bancos privados estrangeiros, poratnto, se dificulta e torna tardia e rápida a publicação sobre o HSBC Suíço, assim como nunca mais se ouviu falar da atividade escusa norteamericana em instalar escutas em aliados como fez com a Alemanha, França, Brasil.. e em conjunto com a Nova Zelândia, Austrália, Canadá e Grã-Bretanha, o chamado "Five Eyes".

Você tem uma escolha. Ver essa forma de atuação da grande mídia de dois pesos e duas medidas e exigir que mudem. Ou continuar achando que a grande mídia é isenta, que não atua segundo interesses comerciais mas também geopolíticos, políticos e econômicos, e assim não contribuir para que eloa veja que nós a vemos e vemos sua conduta parcial. No útlimo caso, você está sendo omisso e chancelando a construção de uma ordem mundial que te empobrece e a seu povo.

Nós praticamos a primeira opção e chamamos a grande mídia a melhorar, se desenvolver, ficar mais imparcial, atingir sua finalidade institucional que é informar o povo brasielrio do que lhe interessa, para o bom funcionamento do mercado econômcio, do mercado de trabalho, do governo, da Justiça, e para a boa, independente e autônoma inserção do Brasil na comunidade internacional.

Venha conosco nessa jornada. A verdade é irresistível.

terça-feira, 10 de março de 2015

Filho de Vice-Presidente dos EUA é contratado por Petrolífera Ucraniana e outras notícias não publicadas pela grande mídia

Para quem gosta de explorar as contratações empreendidas por filhos de Presidentes e ex-Presidentes brasileiros, fica aqui uma importante contribuição informativa efetuada pelo site da UOL no endereço http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/35244/filho+de+vice-presidente+dos+eua+e+contratado+por+produtora+de+gas+da+ucrania.shtml

O grande comentarista do Blog Perspectiva Crítica, JotaELe, nos forneceu esses dados ao comentar o artigo do Blog "Jornalista americano denuncia manobra do governo americano para derrubar o governo Dilma Roussef", publicado e 09/03/2015.


Observem a notícia no trecho que selecionamos:

"A notícia chamou atenção porque, desde o início da crise ucraniana, os Estados Unidos e seus aliados vêm pressionando a Ucrânia a reduzir sua dependência de combustível em relação à Rússia. Além disso, se comprometeram a ajudar o país, não apenas ampliando suas opções de fornecedores, mas desenvolvendo a produção nacional." 

Apesar de os jornais estrangeiros publicarem sobre corrupção do Brasil, principalmente no caso da Petrobrás, a corrupção que existe nos EUA, esse nepotismo cruzado que existe entre cargos de autoridades públicas e cargos de alta projeção em empresas privadas que inclusive investem na campanha dos políticos cujos filhos emprega, nunca é abordado por nossa mídia aqui.

Só pude ver esse cruzamento evidenciado claramente poucas vezes:

1 - no filme de Michael Moore intitulado "$ICKO $O$ $AUDE", em que ele mostra políticos em ato legislativo que beneficia empresas farmacêuticas todos reunidos e aponta quanto cada um recebe das empresas farmacêuticas, que impedem que medicamentos mais baratos cheguem ao consumidor americano (veja também "Clube de Compras Dallas" sobre este tema) e de planos de saúde que não prestam serviços a seus clientes para maximizar lucros. A política não beneficia o cliente e o paciente, mas as empresas de farmácia e planos de saúde, mostrando o cruzamento entre dinheiro, políticos e empresas diretamente beneficiadas em prejuízo do cidadão americano.

2 -  na cobertura curta e passageira sobre o fato de a invasão do Iraque ter gerado grandes negócios, contratos e lucros para a Halliburton, empresa do VIce-Presidente dos EUA, país invasor, à época.

3 - agora, com essa publicação sobre Hunter Biden, filho de Joe Biden, Vice-Presidente dos EUA, sendo contratado pelo maior conglomerado petrolífero da Ucrânia, justamente nesta época de guerra com a Rússia em que os EUA também estão pelnamente presentes.

4 - E no livro "A Trilateral", publicado no Brasil em 1979 em única, e não repetida até hoje, edição, em que Theotonio dos Santos em companhia de Noam Chomsky e Hugo Asmman, dois cientistas sociais americanos, debulham relatórios da Comissão Trilateral que eram publicados em que se discutiam como os países trilaterais (EUA-Europa-Japão) poderiam se assenhorear do mercado mundial e impedir que outros compartilhassem dessa riqueza efetiva e potencial. Eles conseguiram fazer um quadro em que 50 pessoas participavam de não mais do que umas trinta comissões, órgãos de governo, universidades e grandes empresas dos países trilaterais, mostrando como estavam presentes em todos estes centros de poder e coesos numa interrelação figadal entre esses órgãos, empresas, universidades e pessoas. Muito interessante. Depois da edição desse livro, a Comissão trilateral parou de publicar seus relatórios. As reuniões da Comissão são agora a portas fechadas e sem acesso público.

Eu pergunto: Por que esse tipo de informação não chega a você? Por que nossa grande mídia, gigantesca, altamente competente e profissional não publica isso para você? Por que as grandes realizações de servidores públicos brasileiros restam incógnitas? A Marinha, por exemplo, costruiu o melhor motor nuclear do mundo e foi o único país do mundo a conseguir provar a extensão da nossa platafora continental além de 17 milhas para as 200 milhas atuais. A Rússia não conseguiu fazer o mesmo. Agora o Pré-sal, a 300 km da nossa costa, é brasileiro.. senão seria acessível a qualquer país estrangeiro pois estaria fora do mar territorial brasileiro. Nossa Justiça Eleitoral foi a primeira a realizar eleições eletrônicas em todo o País, eficientemente, e em dimensões continentais. O Banco do Brasil e o Banco Central implantaram um sistema de pagamentos e compensações continental e estável bancário invejado em todo o mundo.. infindável a lista...

Infelizmente a resposta que mais se apresenta clara é que há interesse em achincalhar a imagem do serviço público brasileiro, mesmo o que se apresenta eficiente, para privatizá-lo; em achincalahar a imagem do servidor público, para acabar com a estabilidade, a concorrência do setor público por mão-de-obra brasileira com a área privada e para facilitar a corrupção do servidor público que fiscaliza e pune a área privada; há interesse em não manchar a imagem dos EUA como modelo para nosso país a qualquer custo, sem nem mesmo fazerem contraponto com a vida nórdica ou européia, com muito mais serviço público e qualidade de vida ao seu cidadão do que nos EUA; há interesse cego em implantar o Estado Mínimo, liberalização total de mercado, mesmo que isso não seja o que EUA e Europa praticam, e mesmo que seja emprejuízo de uma política autônoma industrial e de insrção do Braisl no mercado internacional.

Infelizmente a resposta que se apresenta é de que a grande mídia não te informa com enfoque no que é bom para a família brasielira, mas no que é bom para a implantação de um sistema social que privilegia o mercado internacional, bancos internacionais, indústrias internacioansi, emprego no exterior, em detrimento à mais prestação de serviço público e qualidade de vida à família brasileira.

Nós do Blog Perspectiva Crítica fazemos questão de denunciar isto e chamar a grande mídia a mudar de rumo e a apoiar  a boa informação, a divulgar abusos e corrupção no exterior, a divulgar as mazelas enfrentadas por famílias americanas que não têm plano de saúde e não podem ser atendidos por hospitais públicos que não são gratuitos, a divulgar que a qualidade de vida na Europa é melhor do que nos EUA e que eles têm até 3 vezes mais servidor público por habitantes do que o Brasil. Queremos que seja publicada a relação gasto com servidor público em precentual do PIB na Alemanha, França, Dinamarca, Suíça e Noruega e que se conecte isso com suas respectivas colocações na lista de IDH, carga tributária, valor de salário mínimo, relação de serviços públicos prestados e disponíveis aos respectivos cidadãos desses paíuses e índice inflacionario e se compare isso com o Brasil e os EUA.

Queremos menos sofisma, menos criação retórica de um mundo perfeito de liberdade de mercado que é mentiroso e não existe, já que os EUA e Europa têm programa de subsídio de mais de 300 bilhões de dólares cada, e queremos mais verdade, mais comparação de dados comparáveis com o Brasil para concluirmos o que é melhor para nós mesmos e não simplesmente seguir uma proposta pronta por centros financieros internacionais ou pólos políticos internacionais de poder.

Essa proposta que ora fazemos é para que a grande mídia mantenha seu mercado de leitores e eleve sua credibilidade que vem caindo em sociedade e já naõ é a mesma de muitos anos atrás. Queremos uma grande mídia responsável, nacionalista ou internacionalista, mas sincera, apresentadora de contrapontos ( no que tem melhorado, realmente), respeitosa da imagem das pessoas sobre quem publica, respeitadora do princípio do devido processo legal, cmprometida com uma inserção autônoma do país no mercado internacional, e comprometida com a melhoria da renda, emprego, educação, saúde e vida do brasileiro que, afinal, é a razão de ser de uma empresa de mída (ou deveria ser.. rsrsrs).

Sim... é muito otimismo e pretensão.. mas somos doentemente otimistas e o mundo parece não privilegiar quem tem expectativas e pretensões medíocres.

Publiquem também que aqui há interconexões esquisitas entre a classe política e a empresarial, mas publiquem que isso também ocorre no exterior, principlamente se for nos EUA.. é mais honesto com os leitores.       

Acessem ainda algumas outras notícias não publicadas pela grande mídia mas de interesse público na lista com que JOtaELe nos presenteou:


http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/93008/Serra-prometeu-%C3%A0-Chevron-mudar-regras-do-pr%C3%A9-sal.htm - o texto em si não diz nada demais.. o PSDB é a favor do modelo de concessão ao invés do de partilha... mas se fosse de Lula falando com Cuba ou a PDVSA seria estardalhaçadamente publicado, concorda?
http://wikileaks.ch/cable/2009/08/09RIODEJANEIRO288.html
Trecho selecionado de mensagens vazadas pelo Wikileaks sobre a mudança de regra do pré-sal de concessão para partilha:  "Reaction by Rio de Janeiro-based representatives of American oil companies to the possibility of Petrobras as the sole operator is mixed. Exxon Mobile's External Relations Director Carla Lacerda, told Rio FCS officer on August 10 the proposed model constituted a reversion to Brazil's former monopoly system. As the sole operator, she explained, Petrobras would have more control over equipment purchases, personnel, and technology selection, which, in turn, could adversely affect U.S. equipment and service supply to Brazil." (grifo nosso)

Tradução nossa do grifado: Como operador exclusivo, ela explica, Petrobras teria mais controle sobre contratação de equipamentos, pessoal e seleção de tecnologia, o que, por sua vez, poderia afetar adversamente/prejudicialmente o fornecimento americano de equipamentos e serviços ao Brasil." 

Por que não houve publicação disso a você leitor?


http://wikileaks.ch/cable/2009/12/09RIODEJANEIRO369.html
 Trecho selecionado:
"Although major international and independent oil companies
(IOCs) continue to view the regulatory framework to develop
Brazil's offshore Pre-salt oil and gas reserves as potentially
debilitating to their future exploration and production (E&P)
operations here, the Rio de Janeiro-based industry group that
represents these companies has thus far been unsuccessful in
efforts to enact changes to the law in the House of Deputies.
Patricia Pradal, head of government relations for Chevron told
Econoff on November 19 that since President Lula announced the
framework on August 31, industry had been fighting a "hard battle"
to enact changes to the legislation, but the House of Deputies has
not taken any industry concerns into consideration.  (Note: Pradal
also heads the steering committee of the Brazilian Institute for
Petroleum (IBP), the industry umbrella group that represents all
major international and independent oil companies operating in
Brazil, including Petrobras.  She spoke to Econoff in this
capacity.  End Note).   Pradal lamented the lack of support from
opposition parties in Congress, blaming Presidential and
Congressional elections next year and explaining, "The PSDB
[primary opposition party] simply has not shown up to this debate."
She expressed begrudging respect to President Lula's International
Relations Adviser Marco Aurelio Garcia and Press Secretary Franklin
Martins as the principal orchestrators of the Government's
strategy, stating, "They are the professionals, and we are the
amateurs."

Esse outro trecho confirma a publicação sobre Serra e Chevron em português:
"PSDB'S SERRA REPORTEDLY OPPOSES FRAMEWORK, BUT NO SENSE OF URGENCY
 3. (C) According to IBP's Pradal, likely PSDB 2010 Presidential
Candidate Jose Serra opposed the framework, but seemed to lack a
sense of urgency on the issue.  She quoted him as telling industry
representatives, "Let those guys [Worker's Party] do what they
want.  There will be no bid rounds, and then we will show everyone
that the old model worked...And we will change it back."  As for
what would happen to foreign oil companies in the meantime, Serra
reportedly remarked, "You will come and go."   Congressional
sources have also told Embassy officers that Serra has signaled
PSDB and other opposition sources that they should amend - but not
oppose the final Pre-Salt legislation, and urged opposition
legislators to avoid vocal opposition to the law."

O PSDB pode ter a liberdade de apoiar o regime de concessão, que é uma boa discussão, mas se reportar a empresas petrolíferas estrangeiras?!? Conclua o que quiser.